Histórico e contextualização do programa (atualizado em 2021)

 

O Programa corresponde hoje a um dos 810 Programas de Mestrado Profissional da CAPES (866 Cursos de Mestrado Profissional). Corresponde também, a um dos 270 Programas de Pós-graduação da USP, contribuindo para a soma atual de 30 mil discentes de Pós-graduação da Universidade. Cabe salientar que, a coordenação do Programa não encontrou proposta similar de formação profissional pós-graduada na USP, considerando as características do programa detalhadas adiante.

A FMRP USP tem 24 programas de pós-graduação, dentre eles 5 Mestrados Profissionais, incluindo o MP CIFM. Os outros programas de Mestrado Profissional da Instituição são: Mestrado Profissional em Hemoterapia e Biotecnologia, Mestrado Profissional em Gestão de Organizações de Saúde, Mestrado Profissional em Neurologia e Neurociências Clínicas e Mestrado Profissional em Medicina, este último o mais novo Programa aprovado na Instituição. Cabe salientar que, a coordenação do Programa não encontrou proposta similar de formação profissional pós-graduada na FMRP USP. Mais do que isso, o Programa tem se tornado referência regional e nacional, com crescente aumento do número de interessados, o que pode ser observado pelo salto de 52 inscritos em 2017 para 70 em 2020. O programa está presente e alinhado ao PDI (Projeto Acadêmico da FMRP USP), contribuindo para os indicadores da Faculdade, desenvolvendo ações para cumprimento das metas institucionais, tanto considerando aspectos próprios do programa como participando ativamente nas ações globais relacionadas aos diversos níveis elencados no Projeto Acadêmico quinquenal.

 

O Programa de Mestrado Profissional em Ciências das Imagens e Física Médica (MP CIFM) foi aprovado em 2013, com o ingresso da primeira turma de alunos em 2014. O Programa foi proposto pela equipe de docentes, pesquisadores, médicos e físicos do Centro de Ciências das Imagens e Física Médica (CCIFM), da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP e do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, considerando a Portaria Normativa do Ministro de Estado da Educação Nº 17, de 28 de Dezembro de 2009, que estimula a  formação de mestres profissionais habilitados para desenvolver atividades e trabalhos técnico-científicos em temas de interesse público, identificando potencialidades regionais em órgãos públicos e privados capazes de atender a demanda de  profissionais altamente qualificados para o mundo do trabalho produtivo, formando recursos humanos em cursos de pós-graduação stricto sensu com vistas ao desenvolvimento socioeconômico e cultural do País, capacitando profissionais destinados a aumentar o potencial interno de geração, difusão e utilização de conhecimentos científicos no processo produtivo de serviços de saúde, em consonância com a política do Sistema Único de Saúde do Brasil.

Consciente de que a capacitação de recursos humanos para atuar nas diferentes áreas da saúde no Brasil é um dos fundamentos para o sucesso da missão da Universidade de São Paulo e um compromisso com o Sistema Único de Saúde, a equipe apresentou proposta de criação do MP CIFM centrado no HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE RIBEIRÃO PRETO e na FMRP/USP, com 2 áreas de concentração: Diagnóstico por Imagem e Física Médica. O programa possui seis linhas de pesquisa que propiciaram a formação de 77 mestrandos profissionais no período entre 2015 e 2019, cujo detalhamento se encontra disponível nos demais espaços da proposta do programa nesta plataforma.

 

O Perfil do egresso do MP CIFM deve ser considerado um produto do programa, uma vez que visa a formação de especialistas em determinados nichos do mercado de trabalho que ainda não estão plenamente desenvolvidos em nosso meio; formação essa voltada para o desenvolvimento de espírito crítico em busca de oportunidades para o constante aprimoramento de técnicas, protocolos e estratégias com impacto para melhoria da saúde no SUS. Associa-se à essa constatação o fato de que Ribeirão Preto é um centro reconhecido como formador de pessoal de alto nível nas diversas especialidades da Medicina, incluindo o diagnóstico por imagens, bem como em várias outras áreas de interface como a Física Médica e a Informática Biomédica. Assim, certamente, a formação desses profissionais tem apresentado impacto na cidade de Ribeirão Preto, na região e em vários Estados da União, que se beneficiam diretamente da existência desse curso de mestrado profissional. Detalhamento do destino dos Egressos do programa estão disponíveis nos demais espaços da proposta do programa nesta plataforma.

 

Enfatizamos que o CCIFM já tem tradição de fornecer profissionais de qualidade para diferentes estados brasileiros. Adicionalmente, os egressos da área de concentração de Física Médica também foram em grande parte absorvidos pela própria Instituição, confirmando a alta demanda por profissionais com o Perfil de formação do Programa.

A fase atual do Programa, que corresponde ao seu segundo quadriênio, representa melhor alinhamento do Regimento Interno com a realidade da formação proposta, propiciando facilitação na proposição de produtos mais inovadores e com maior inserção social, o que inclui renovação parcial do corpo docente. Houve melhora na visibilidade do Programa, bem como tem sido possível progredir nos esforços de implantação de programa de seguimento de Egressos. Por fim, é importante salientar que foi conseguido recurso financeiro junto ao HCRP USP (bolsa) para o período inicial de 12 meses para a maioria dos alunos a partir de 2019, tendo sido optado pela não inclusão oficial como “financiamento” na plataforma, considerando que não se trata de agência financiadora habitual para os programas de pós-graduação (CAPES, CNPq e FAPESP).

 

O principal objetivo do programa é o desenvolvimento de recursos humanos qualificados, com capacidade de inovação, pensamento crítico, compreensão e aplicação do método científico, assim como liderança nas áreas de concentração em Diagnóstico por Imagem e Física Médica. Tal objetivo é percebido claramente na avaliação dos Egressos (apresentada em outra seção deste relatório), os quais tem ocupado posições em serviços do SUS e da saúde complementar, com atuação transformadora e de impacto. A inovação dos produtos do programa está na criação de novos conhecimentos sobre vários aspectos dos projetos de pesquisa distribuídos nas linhas citadas anteriormente, quer seja no desenvolvimento e aplicação de novas metodologias para solucionar problemas específicos no diagnóstico diferencial por imagem de diversas doenças e afecções (incluindo ferramentas de informática e inteligência artificial), na aplicação de técnicas inovadoras no tratamento de doenças (principalmente na Radiologia Intervencionista e Radioterapia), na releitura de problemas relativamente comuns e antigos nas áreas citadas, na apresentação de novas soluções para infraestrutura de armazenamento e distribuição de imagens digitais e na aplicação de métodos quantitativos na avaliação de imagens diagnósticas. Desta forma, a missão do Programa está alinhada com a missão da Universidade de São Paulo de capacitar recursos humanos de excelência para atuar na área de saúde do Brasil, incluindo compromisso com o Sistema Único de Saúde, assim como segue a missão da FMRP USP, quer seja, oferecer educação superior de excelência, propiciando a formação de profissionais de saúde com elevado nível de capacitação e potencial de liderança, com base em preceitos éticos, morais, científicos e humanísticos; formar pesquisadores competentes em seus programas de pós-graduação e produzir pesquisas inovadoras de alta qualidade, com inserção internacional, explorando a fronteira do conhecimento, mas também atentas às necessidades da sociedade”. Importante destacar que, dado o perfil do egresso a ser formado e características intrínsecas da área da Medicina I, as quais incluem atividades de pesquisa extremamente aplicadas, de alta complexidade, envolvendo pacientes e laboratórios altamente específicos, os objetivos e a missão do programa estão direcionados para o desenvolvimento do produto final e da qualidade da formação.

 

O Curso possibilita o desenvolvimento de capacitações de forma a tornar o pós-graduando apto para as seguintes competências e habilidades específicas:

    •                  Respeito aos princípios éticos inerentes ao exercício profissional;

    •                  Atuação como especialista em imagem do Sistema Nervoso, Sistema Músculo Esquelético, Medicina Interna, Radiologia Intervencionista, Radioterapia e Física Médica, de forma integrada aos programas de promoção, manutenção, prevenção e recuperação da saúde de forma comprometida com o ser humano, sensibilizando-se e valorizando-o;

    •                  Indicação, execução e interpretação de exames de imagem que permitam a elaboração de diagnóstico diferencial em conjunção com raciocínio clínico crítico à luz de exames complementares adicionais;

    •                  Eleger, quantificar e realizar procedimentos, intervenções e condutas endovasculares e procedimentos minimamente invasivos guiados pela imagem apropriada, segundo normas vigentes e literatura atual;

    •                  Desempenhar atividades de planejamento, organização, gestão e gestão de Qualidade de Serviços de Imagem Médica ou Radioterapia, públicos ou privados;

    •                  Assessorar, prestar consultorias e auditorias no âmbito de sua competência profissional;

    •                  Emissão de laudos, pareceres e relatórios;

    •                  Prestar esclarecimentos, dirimir dúvidas e orientar o indivíduo e seus familiares sobre o processo diagnóstico e terapêutico;

    •                  Manter controle sobre a eficácia dos recursos tecnológicos pertinentes à atuação em Imagem Médica, Radioterapia e Física Médica, garantindo sua qualidade e segurança;

    •                  Capacitar profissionais para atuar na área de Imagem Médica, Radioterapia e Física médica, tanto na pesquisa quanto em desenvolvimento tecnológico, visando atender a demanda existente no setor produtivo e instituições de ensino e pesquisa;

    •                  Contribuir para a construção do conhecimento técnico-científico em suas áreas de atuação, incluindo a aplicação de ferramentas de inteligência artificial, aprendizado de máquina e “deep learning” para melhorar a interpretação de achados e produção de relatórios de exames, assim como o gerenciamento de agendas e serviços.

    •                  Revisão da utilização de exames de imagem em protocolos clínicos específicos, com possibilidade de implementação de regras encontradas na literatura disponível visando criação de rotinas para suporte de decisão clínica informatizada com inserção no sistema de informações hospitalares (HIS).

    •                  Revisão de protocolos de exames baseada nas melhores evidências disponíveis, publicando versão final no manual de rotinas do serviço.

    •                  Assim, os principais produtos, do mestrado profissional em Ciências das Imagens e Física Médica, são, mas não exclusivamente, publicação dos resultados de pesquisa em periódicos científicos nacionais ou internacionais, descrição e aplicação de algoritmo de inteligência artificial utilizado no serviço para auxílio à detecção de lesões em exames, auxílio ao relatório, auxílio à confecção de relatórios; protocolos e nomogramas clínicos com ênfase à análise crítica das indicações dos métodos de imagem; e, protocolos de exames.

O Mestrado Profissional em Ciências das Imagens e Física Médica formou 20 (vinte) alunos no ano de 2015, 18 (dezoito) alunos em 2016, 16 (dezesseis) alunos em 2017, 4 (quatro) alunos em 2018, 9 (nove) em 2019 e 10 (dez) em 2020, sendo que a queda em 2018 se deu pela mudança do tempo mínimo para titulação passando de 12 para 24 meses, que foi programada para melhorar os processos e permitir aumento da qualidade dos produtos pretendidos. Assim, após 77 (setenta e sete) alunos formados, podemos dizer que o profissional oriundo do curso de pós-graduação, Mestrado Profissional de Ciências das Imagens, mostra uma evolução clara da situação em que se encontrava antes, após o término de sua Residência Médica ou curso de graduação em Física. Este profissional foi exposto a grande número de reuniões clínicas, apresentou casos e reviu os resultados anatomopatológicos obtidos, participou de muitos seminários e “journal clubs”, aprimorou conhecimentos de estatística e metodologia científica e redigiu ao menos uma dissertação de mestrado. Quer seja pelo desenvolvimento de seu próprio trabalho como pela participação, acompanhamento e discussão do trabalho dos colegas mestrandos, o egresso foi exposto intensamente a situações que propiciaram desenvolvimento de espírito crítico quanto ao estado do conhecimento atual sobre vários assuntos de interesse para a área, com impacto em outras especialidades. Mais do que isso, foi desafiado a apresentar sua opinião e possíveis soluções baseadas no método científico, permitindo o exercício da discussão ética e da construção de conhecimento de maneira colaborativa, assim como exercitando o trabalho em equipe. Com certeza, esses profissionais estão aptos para atuar de maneira crítica e inovadora junto a empresas privadas, hospitais públicos e clínicas, com formação interdisciplinar e espírito crítico e de inovação. Isto pode ser atestado pela inserção destes profissionais no mercado de trabalho, delineado nas nossas descrições dos egressos, salientando-se a absorção de egressos nos próprios serviços do Complexo Hospital das Clínicas-FAEPA (Fundação de apoio e pesquisa do HC FMRP USP) – Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, mas também a disseminação de profissionais para vários estados do país.

 

O Programa está atento para as mudanças de cenário que se apresentam para as áreas de concentração, principalmente no que diz respeito ao aumento da utilização de ferramentas computacionais e de inteligência artificial no Diagnóstico por Imagem, e que se configura em grande potencial de inovação. Vários produtos relacionados a esses temas já foram desenvolvidos por alunos do programa, descritos nas suas dissertações e em utilização no serviço, com outros projetos sendo desenvolvidos pelos alunos ativos.